O que é Pix e como ele funciona? – Saiba toda as informações

O Pix é uma forma de transferência automática que foi criada pelo Banco Central, ele permite o pagamento de contas e também consta com outras funcionalidades, como:

  • Enviar e receber pagamentos 24 horas por dia
  • Isento de taxas
  • Qualquer pessoa pode utilizar

Criado em 2020, o serviço mudou a forma que os pagamentos são feitos no Brasil. Ele é rápido, moderno, acessível e, desde o seu lançamento, vem trazendo muitos avanços e atualizações que permitem uma ajuda em outras áreas que não só a transferência de valores feitas entre pessoas.

O Pix permite que transferências e pagamentos sejam realizados em até 10 segundos, com elas podem acontecer a qualquer momento do dia e do ano, independente de finais de semana ou feriados. Além disso, também é possível realizar o pagamento em tempo real em estabelecimentos e também quitar contas de luz e afins.

Como o Pix funciona?

Como citado acima, o horário do Pix é 24 horas por dia, inclusive em finais de semana e feriados. Isso acontece por conta do Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), infraestrutura criada pelo Banco Central especialmente para essa funcionalidade. 

Apesar de ser possível realizar essa transação à qualquer momento, durante 20h e 6h existe um limite de valor de transferência de 1 mil.

Para ter acesso a esse tipo de pagamento instantâneo, só é necessário possuir uma conta em um banco e/ou carteira digital que faça uso da função. Durante o cadastro, é possível definir quais chaves Pix o usuário vai utilizar, e são permitidas até 5 chaves para pessoas físicas, enquanto que pessoas jurídicas possuem o limite de até 20.

É importante lembrar que não é necessário que o recebedor também possua uma chave para a transferência acontecer, só é necessário preencher os dados bancários de quem vai receber e finalizar a transferência. Entretanto, se os dois usuários possuem uma chave, o processo se torna mais rápido. 

Segundo o Banco Central, a Lei do Sigilo Bancário e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) garantem a segurança desse sistema, além de todas as transações serem criptografadas. Só é necessário ficar de olho para não cair em golpes que são aplicados por hackers e outros espertos pela internet. 

Como fazer um pagamento pelo Pix?

Antes de mais nada, para conseguir efetuar um pagamento pelo Pix, é necessário ter uma conta em um banco e/ou carteira digital que possua essa funcionalidade habilitada no aplicativo.

Em seguida, o usuário deve escolher qual tipo de operação deseja fazer entre: pagar, transferir ou receber por meio dessa função. Após escolher pagar ou transferir, só é preciso inserir a conta ou chave do recebedor e também ter débito em conta para que a transferência ocorra com sucesso.

Veja abaixo como fazer um pagamento instantâneo:

  • 1) No aplicativo do seu banco, vá até a área Pix
  • 2) Clique em ”Pagar” e selecione a opção ”Ler QR Code”
  • 3) Aponte a câmera do celular para a imagem
  • 4) Insira o valor
  • 5) Confirme se as informações estão corretas e siga

Como criar uma chave Pix?

Como citado, o primeiro passo para receber um pagamento por meio do Pix é ter o cadastro de uma chave. De acordo com o Banco Central, essas chaves Pix são ”apelidos” usados para identificar uma conta, ou seja, elas representam o endereço da conta do usuário dentro do sistema de pagamentos instantâneos. Elas podem ser CPF ou CNPJ, e-mail, número de telefone ou chave aleatória.

Existe um limite de chaves que cada cliente pode ter. O usuário que é pessoa física pode cadastrar até 5 chaves, enquanto que usuários que possuem a conta no modelo pessoa jurídica podem ter até 20 chaves para cada titularidade.

Veja abaixo como criar a melhor chave Pix para o seu cenário:

  • 1) Acesse o aplicativo do banco digital
  • 2) Clique na aba ”Pix”
  • 3) Clique em ”Cadastrar Chave”
  • 4) Selecione o tipo de chave que deseja cadastrar
  • 5) Informe os dados do tipo de chave escolhida
  • 6) Confirme

É seguro usar o Pix?

Devido a pandemia, o Pix se tornou um meio de pagamento muito utilizado e sua evolução foi acelerada. Nos seus primeiros oito meses de implementação, cerca de 98 milhões de pessoas se cadastraram na modalidade lançada por ser um meio com medidas sanitárias contra a COVID durante o período mais crítico do vírus.

Além da sua segurança sanitária, o Banco Central também afirmou que o Pix é uma operação blindada a fraudes porque é processado na rede do sistema financeiro nacional. Entretanto, algumas pessoas ainda conseguem enganar os usuários e aplicar golpes do Pix, como forçar a vítima a ceder dador pessoais por meio de chantagem no Whatsapp, envio de links duvidosos com propostas interessantes, QR Codes fraudulentos e outros.

Tendo em vista que o sistema é seguro, mas as pessoas podem cair em golpes, é importante sempre verificar o remetente dos e-mails que chegam, não clicar em qualquer link recebido pelo whatsapp, e-mail ou outras plataformas, cadastrar chaves apenas nos canais oficiais do banco e nunca compartilhar informações pessoais.

É possível fazer um Pix com cartão de crédito?

Atualmente, algumas instituições financeiras estão começando a disponibilizar uma funçaõ de crédito que mais se assemelha a um empréstimo. Nele, o usuário faz uma transferência de acordo com o limite que tem disponível no cartão e esse crédito vem descontado na fatura do cliente. Essa é uma proposta que ainda não está disponível em todos os apps, e os que liberam a função possuem taxas variadas.

Um exemplo de taxas que cabem no bolso do usuário é a do RecargaPay, onde usuários normais tem taxas de 3,99%, enquanto que usuários Prime+ tem apenas 3,49% de taxas.

Outro detalhe interessante é que, no parcelamento feito pelo Pix, o usuário pode parcelar o valor em até 12x, a depender do banco, mas o recebedor terá o dinheiro completo em conta, o que deixa ele sem a necessidade de receber o valor todos os meses. Abaixo separamos um passo a passo de como fazer o Pix com cartão de crédito pelo aplicativo RecargaPay:

  • 1) Baixe o aplicativo
  • 2) Abra o aplicativo
  • 3) Na tela inicial, toque em ”Pix com cartão”
  • 4) Digite a chave Pix de quem receberá a quantia
  • 5) Digite o valor total do dinheiro que você quer transferir
  • 6) Para a forma de pagamento, toque em ”Cartão de crédito”
  • 7) Cadastre o cartão de crédito da sua instituição financeira
  • 8) Selecione as parcelas que deseja pagar
  • 9) Insira a senha e confirme a transação pelo Pix no cartão de crédito

Principais modalidades do Pix

Devido ao seu avanço acelerado nos últimos dois anos, o Banco Central já anunicou e investiu em diversas funcionalidades para melhorar o dia a dia dos seus usuários. Entretando, a depender da instituição financeira, as modalidades ofertadas podem variar. As mais utilizadas são as de Pix Parcelado, Agendado e Pix QR Code.

Pix Parcelado

Como o nome já traz, o Pix Parcelado é uma forma de parcelar compras por meio do pagamento instantâneo. O pagador pode escolher as parcelas em que vai efetuar a compra, e a pessoa que vai receber garante o pagamento integral em sua conta.

Por não ser uma forma de pagamento oficial do Banco Central e não possuir regras definidas, cada banco e/ou carteira digital tem suas regras e taxas definidas para a transação. Podendo variar em porcentagem e também na quantidade de parcelas.

Essa é uma ótima modalidade para compras que oferecem desconto e em situações emergenciais, onde o cliente não possui o valor em conta e tem essa função de crédito disponível. Veja abaixo como fazer um Pix Parcelado:

  • 1) Na tela inicial do app, acesse a aba de Pix
  • 2) Selecione a forma do pagamento
  • 3) Digite o valor do pagamento
  • 4) Defina o número de parcelas
  • 5) Confirme a transação

Pix Agendado

Essa é uma maneira simples de organizar a vida financeira, que funciona tanto para pessoas físicas como também para empresas. Com o Pix Agendado, as transferências e transações acontecem de forma mais simples.

Ele funciona da mesma forma que uma transação automática normal, basta ir pelo caminho de uma transferência Pix, escolher o destinatário, e, finalmente, selecionar a data em que a transação deve ser realizada. Isso permite que o usuário e/ou empresa programe seus pagamentos e não deixe que atrasos aconteçam e evitem também cobranças e juros.

Além disso, o agendamento pode ser cancelado antes da transferência acontecer. Dessa forma, caso o valor sofra alterações ou a data mude, o usuário pode ir no aplicativo e fazer as mudanças necessárias. Veja abaixo como agendar um Pix:

  • 1) Acesse o aplicativo
  • 2) Entre na aba ”Pix”
  • 3) Clique em ”Enviar dinheiro”
  • 4) Escolha por qual dado prefere enviar
  • 5) Confirme as informações do recebedor
  • 6) Insira o valor e a descrição que deseja enviar
  • 7) Selecione a forma de pagamento
  • 8) Em ”data de envio” altere para a data que deseja agendar o Pix e confirme

Pix QR Code

Além das chaves Pix, o Banco Central também disponibilizou outra forma de Pix, onde é possível compartilhar o QR Code gerado no aplicativo e enviar para quem vai efetuar o pagamento. Dessa forma, ao invés de compartilhar dados pessoais como nome, CPF, e-mail ou número de telefone, só é necessário gerar um novo código e enviar para o pagador, que vai realizar a leitura da imagem e prosseguir com a transferência.

Outro fator interessante dessa modalidade do Pix é que existem duas maneiras de se gerar um código QR, sendo elas o estático e o dinâmico.

O QR Code estático permite que o recebedor defina um valor fixo para o produto, como se fosse uma etiqueta de preço único, onde não é possível alterar o valor. É uma ótima opção para lojistas que querem enviar o código para os seus clientes finalizarem um pagamento e garantir a quantia completa na sua conta.

Já o QR Code dinâmico é exclusivo para cada transação, e só pode ser utilizado uma vez. Caso o usuário queira fazer novamente, é preciso gerar um novo código. Além disso, também é possível incluir dados e informações no código, como os dados do recebedor.

Quais as diferenças do Pix para o TED e o DOC?

Algo que trouxe familiaridade para as pessoas ao começarem a utilizar a forma de transferência pelo Pix, foi sua semelhança com formas de pagamento como o TED e o DOC.

Criado pelo Banco Central, o Pix é um método de pagamento instantâneo, gratuito e que fica disponível 24 horas por dia. Como foi dito no texto, ele pode ser feito de diversas formas e com diferentes tipos de chave, e sua única restrição de valores é durante o período de 20h e 6h, onde só é permitido enviar até R$1 mil.

Enquanto isso, o TED (Transferência Eletrônica Disponível), é uma modalidade que não possui valor mínimo ou máximo para transações, mas alguns bancos estabelecem limites para evitar que a segurança seja quebrada. Outra diferença que transforma o Pix em uma melhor opção, é que em transferências do tipo TED, é cobrada uma taxa do usuário a cada operação realizada, e ele também exige mais dados.

E o DOC (Documento de Ordem de Crédito), só pode ser realizado entre instituições com aprovação do Banco Central. Seu limite de valores é de R$4.999,99 e existe o prazo de um dia útil para que o valor caia na conta destino. Essa modalidade também possui taxas, que são parecidas com as do TED, mas que podem variar de banco para banco.

O serviço Pix também pode trazer uma outra grande vantagem em relação aos outros métodos de pagamento, além de ser totalmente gratuito, algumas instituições bancárias te pagam por cadastro na hora via Pix, dessa forma, vai ter o serviço do Pix e até receber quando fizer um cadastro ou indicar alguém.

Conclusão

Por fim, acredito que o Pix foi uma ferramenta que chegou para garantir o seu lugar, e mostrar que existem inúmeras formas seguras para que as pessoas possam realizar suas transferências. Além disso, ele evita que as pessoas fiquem na mão, garantindo meios para pagamentos emergenciais e também mais rápidos.

É importante lembrar que, apesar do pagamento instantâneo ser um meio rápido e prático de se realizar transações, é necessário estar em um local com Wi-fi disponível, ou então possuir um pacote com internet móvel para que as transações sejam efetuadas sem maiores problemas.

Além disso, é necessário ter cuidado com os nossos dados que deixamos disponíveis pela internet. Apesar do sistema do Pix ser seguro, ainda existem pessoas que utilizam de outros artifícios para hackear e roubar os dados de usuários.