Existe Pix em outros países? Aprenda agora

Neste momento, ainda não existe Pix em outros países, mas:

  • Uma ferramenta parecida está sendo desenvolvida
  • Vai se chamar Nexus
  • Ainda não tem previsão de lançamento

O Pix é um sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central brasileiro, em 2020. Por enquanto, ele está disponível exclusivamente no Brasil, e certamente é uma das principais inovações relacionadas a serviços bancários dos últimos tempos, com milhões de adeptos, chaves cadastradas e transações diárias.

Isso porque pagar com Pix é muito prático, sem custo e o dinheiro chega na conta do recebedor em cerca de 10 segundos. Em pouquíssimo tempo, se tornou o meio de pagamento preferido dos brasileiros.

No entanto, os bancos e fintechs, por orientação do próprio BC, não permitem que o Pix seja utilizado para fazer transações internacionais

Nesse contexto, diversos países manifestaram interesse em desenvolver um Pix internacional, inspirado no sistema brasileiro, que permitirá o envio de dinheiro em segundos em qualquer lugar do mundo, facilitando as transações no exterior. O sistema se chamará Nexus e ainda não há previsão de lançamento.

Neste artigo, explicaremos tudo sobre o Pix em outros países, quem vai poder utilizar esse sistema,quais moedas serão aceitas e outras informações relevantes sobre o assunto.

Confira! 

Como funciona o Pix em outros paises?

As transações feitas pelo Pix internacional serão muito parecidas com a maneira como o Pix funciona no Brasil. O sistema Nexus, que está sendo desenvolvido pelo Bank Of International Settlements (BIS), que é o “Banco Central Mundial”, permitirá que os usuários façam pagamentos instantâneos via Pix para pessoas do mundo todo.

Ou seja, em breve será possível contar com um meio global de pagamentos prático, com pouco ou nenhum custo para o usuário, que permitirá que transferências financeiras sejam feitas em até um minuto, 24h por dia, em todos os dias da semana.

Esse novo meio de pagamento ainda enfrenta alguns desafios, como o desenvolvimento de uma plataforma de integração dos diferentes sistemas de pagamentos usados pelos Bancos Centrais internacionais e a questão cambial, que é a conversão de diferentes moedas.

Como vai funcionar o PIX INTERNACIONAL? Entenda o Nexus

Quem vai poder utilizar esse sistema?

Qualquer usuário de serviços financeiros que resida em um país que escolha se integrar ao sistema Nexus, poderá utilizar o Pix internacional. A expectativa é que esse sistema conecte transações em cerca de 60 países.

No Brasil, os únicos requisitos para usar o Pix é ter uma chave Pix cadastrada e saldo na conta ou no cartão de crédito para, então, realizar o pagamento. Ainda não é possível dizer quais serão esses requisitos no Pix internacional, mas tudo indica que será tão prático e fácil quanto o Pix convencional usado pelos brasileiros.

O Pix em outros países tem data de lançamento?

Por enquanto, ainda não há previsão de lançamento. Como dissemos anteriormente, ainda há desafios a serem resolvidos, como o câmbio e a integração dos sistemas de pagamentos dos países, além das questões regulatórias e de segurança.

Neste momento, o sistema Nexus, que ficou popularmente conhecido como Pix internacional, ainda está sendo testado e aprimorado.

Samy Dana: Entenda como deve funcionar o Pix internacional

Qual moeda ele vai usar?

O Pix internacional vai contar com um sistema de conversão de moedas abrangente, capaz de fazer essa conversão de câmbio de diferentes moedas em tempo real

Portanto, a ideia é que todas as moedas dos países que aderirem ao Nexus sejam permitidas nas transferências e pagamentos pelo Pix, o que vai ajudar inclusive a acelerar a digitalização da economia.

Quais países vão aceitar esse serviço?

De acordo com o Bank Of International Settlements (BIS), responsável pelo desenvolvimento do Nexus, todos os países que possuem um sistema de transferência rápida e estável poderão aderir à plataforma de pagamentos e enviar um Pix para qualquer nação do mundo.

Nesse contexto, aproximadamente 60 países já poderão ser integrados por meio desta plataforma mundial e robusta, assim que ela for lançada.

Ao aderirem ao sistema, esses países poderão contar com todas as vantagens do Pix, como praticidade, rapidez nas transações, custo baixo e a possibilidade de fazer as transações em qualquer dia e horário.

Vão ser cobradas taxas para o Pix em outros países? 

Ainda não há uma resposta exata para essa questão, já que a cobrança de taxa do Pix depende da política de cada um dos países que usarão o serviço.

No Brasil, o Pix é totalmente gratuito para pessoas físicas, mas algumas instituições cobram taxas em transações feitas por pessoas jurídicas

As ocasiões em que incide cobrança de taxa do Pix são específicas: recebimentos de pessoas jurídicas (1%, em média), transferências com cartão de crédito (varia de 3,49% a 9,9%), saques que ultrapassem o limite de 8 mensais (de R$ 0,50 a R$ 1,00 por cada saque extra, a partir do 9º saque).

Conclusão

O Pix Internacional representará uma modernização importante na forma como as transferências financeiras internacionais são feitas, reduzindo custos, aumentando a velocidade e segurança das transações e eliminando a necessidade de intermediários.

Por isso, existe uma grande expectativa para que o Nexus seja lançado. A solução vai favorecer ainda mais a integração da economia global, garantindo mais praticidade para quem envia dinheiro ou faz compras online em outros países.

Se você se encaixa nesse perfil, fique atento às novidades relacionadas ao Pix internacional e suas regras de funcionamento. E não se esqueça das medidas de segurança: seja por qualquer meio, sempre verifique com cuidado todos os dados da transação antes de confirmar um pagamento que será enviado para o exterior.

Quais são as vantagens do Pix Internacional?

Os principais benefícios são a praticidade, rapidez, baixo custo, inclusão financeira de pessoas que não têm acesso a serviços bancários, segurança e transparência.

Qual é o prazo para o Pix internacional ser concluído?

Como são feitas as transações financeiras para o exterior enquanto o Pix internacional não é lançado?

Quantos países vão aderir ao Pix Internacional?

Quais são os riscos do Pix internacional?